Páginas

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Ave Xochiquetzal!!!!

Ok. Provavelmente você nunca ouviu falar nessa criatura. Eu também não até pouco tempo atrás. Mas traduza essa palavra para o nosso cotidiano, CHOCOLATE... Aaaaahhhhhh! Aposto que agora você se tocou!.





Chocolate remete-nos ao doce, à alegria, à comemoração, ao amor. Essa é a sensação de 99,9% dos amantes do chocolate. Isso se dá porque ele contém uma substância que imita a sensação de estar apaixonado (alguém se lembrou das famosas caixas em formato de coração para o Dia dos Namorados?), tem um efeito levemente parecido ao da maconha, produzindo euforia e diminuindo o estresse (mmmmm...conhece alguma piada sobre entupir uma mulher na TPM de chocolate?).
Durante muito tempo, nos primórdios, o chocolate foi considerado a "bebida dos deuses". E, segundo a lenda asteca, foi o deus Xochiquetzal,  que desceu do céu sobre o raio de uma estrela da manhã depois de roubar a preciosa planta do paraíso, quem ensinou ao homem das delícias dessa iguaria. O chocolate era servido nos rituais religiosos e celebrações. Era misturado a aromas como a baunilha, canela, pimenta da Jamaica, chilis. Os astecas também acreditavam que o cacau possuía fortes propriedades medicinais. De fato, aos guerreiros foram feitas bolachas de cacau sólido para fortalecer  sua resistência para longas caminhadas e aos rigores da batalha.


                                                           (astecas preparando chocolate)




A primeira menção do chocolate na Europa ocorrera em 1544, quando uma delegação de frades dominicanos voltou da Guatemala e presenteou a Filipe II com um pote de chocolate quente, batido.

O chocolate logo se tornou muito popular nos países católicos, pois o Papa Pio V fez uma declaração que ao ingerir a bebida os fiéis não estavam quebrando seu jejum, podendo, portanto, ser tomado nos Dias Santos. 
Mas a bebida também participou de conspirações ao ser utilizada pelos jesuítas para envenenar o Papa Clemente XIV.


O primeiro registro de chocolate como sendo utilizado qual medicamento surgiu em 1570. Francisco Hernandez, o médico real do rei Felipe II, acreditava que era benéfico, e o prescreveu para reduzir a febre e aliviar o desconforto em clima quente.


O chocolate finalmente chegou à Inglaterra em meados do século 17. É interessante que o café do Oriente Médio e o chá do Oriente chegaram em torno do mesmo tempo, e que o chocolate foi por um longo tempo o mais caro dos três. Ainda assim tornou-se popular, especialmente entre a elite de Londres. Samuel Pepys, o grande cronista de seu tempo, fez menção regular em seus diários sobre o famoso chocolate de beber. Em 1700 havia mais de 2.000 casas de chocolate abertas em Londres. 




A partir daí veio a popularização dos efeitos do chocolate como estimulante. Depois, como afrodisíaco, ao ser comercializado pela empresa Cadbury, acompanhado de flores, tornando-se um símbolo de romance. Em 1879 a empresa Lindt criou um sistema em que produzia barras de chocolates mais moles. Logo em seguida a Hershey mecanizou a produção e construiu uma cidade de trabalhadores, aumentando em larga escala a distribuição do confeito.
O chocolate passou a fazer parte de todo tipo de comemoração: Dia dos Namorados (nos bombons), Dia das Mães, Páscoa (nos ovos), Natal (nos biscoitos)...
Hoje em dia o chocolate é tão comum que já nem pensamos em sua importância. Afinal, quantas vezes, sem ter ideia do que dar de presente a uma pessoa, você não apareceu em sua casa com uma caixa de bombons debaixo do braço?

O objetivo do grande Xochiquetzal foi alcançado. Ao compartilhar seu segredo com o homem, ele trouxe alegria, energia e um toque divino às mãos de cada homem, mulher ou criança que ousa se render ao doce sabor de Sua Majestade, o Chocolate.



E você? Consegue enumerar quais seus preferidos?

(fonte de pesquisa: livro "O Clube do Biscoito", ed. Bertrand Brasil; fotos internet)


2 comentários:

  1. Mhm. Sounds yummy! I love chocolate :D!

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda estou no clima do filme "Chocolate" que assisti ontem, seguindo a recomendação do blog. Quando a gente se assume "companheira" é pra levar a sério! É ou não é????

    ResponderExcluir