Páginas

domingo, 1 de maio de 2011

Maio - Um mês repleto de comemorações

E eis que adentramos maio.
Logo no início há a comemoração do dia do trabalhador, dia 1º. Este ano caiu em pleno domingo, então, não há muito para o brasileiro comemorar (feriado em pleno domingo? Que horror!).
Depois temos o dia das mães. Esse sim é uma comemoração de responsa. Fica até chato não se comemorar. Dizem que Deus castiga, mãe é sagrada. Mas cada um do seu jeito.
E não podemos esquecer que este mês inteirinho é o chamado mês das NOIVAS.
Fiquei curiosa do porquê dessa escolha, então fui dar minhas pesquisadas e encontrei várias coisas preciosas. Ao longo do mês vou compartilhar tais informações com vocês, sobre o mês, o buquet, as damas de honra e bolos. Nossaaaaaaa!!!! Bolos e mais bolos de famosos. E tem ainda algumas dicas de livros e filmes - na maioria comédia - pra gente se deliciar no assunto. Porque já que o assunto é casamento, vamos nos lambuzar.
E já começamos bem, ao término do mês de abril com as bodas do Príncipe de Gales.
Vamos aproveitar a carona na carruagem real e saber mais sobre esse evento mágico que ainda faz parte do sonho de 9 entre 10 mulheres...



POR QUE O MÊS DE MAIO?

Voltando na história o casamento surgiu entre os antigos romanos. Antes disso os casais se uniam sem grandes formalidades. Ao difundir a prática do contrato nupcial, Roma garantiu a transmissão de bens para os descendentes legítimos.

(escultura casamento romano)


Na Idade Média a livre escolha do futuro cônjuge deu espaço aos acordos pré estabelecidos pelos chefes de família. O ritual era comandado pela pai da noiva, o qual ele lia à beira do leito nupcial os termos da transferência da tutela da filha em troca de uma quantia de dinheiro ou de bens. Após isso o casal se despia para ser avaliado (para ser verificado se tinham condições de procriação. É claro que antes disso a noiva já havia passado pelo "teste de virgindade").

O enlace matrimonial ganhou status de sacramento no século 9. Foi no Concílio de Trento (1545-1563) na Itália, que surgiu a regulamentação que há até hoje.


(gravura casamento medieval)


Por influência dos próprios católicos, maio tornou-se o mês das noivas por estar ligado à festa de consagração de Maria, mãe de Jesus, apesar de não haver na Bíblia qualquer menção a esse mês para tal comemoração.

Mas ainda há uma outra vertente da história que prega que o mês de maio foi escolhido como mês das noivas porque na Europa esta é a época da primavera. E na Idade Média e posteriores era a época em que a nobreza se banhava. Sim, minha gente, naquela época a higiene não era como hoje em dia. Os nobres tomavam banho uma vez por ano ou mais somente quando havia uma festa extremamente importante, como uma coroação por exemplo. Fora isso, haja perfumes!!!!
Uma grande bacia com água era colocada num cômodo da casa e o banho começava pelo cabeça da família ou o nobre de maior título. A mesma água era usada por todos os membros da família, ficando as crianças e os criados por último (daí surgiu a expressão "não jogue fora a criança junto com a água de banho").
Com o passar dos dias o cheiro corporal voltava. Por isso, a festa de casamento era realizada nos primeiros dias de maio, quando o mau cheiro ainda não imperava. E mais: o buquê de flores na verdade era usado para disfarçar qualquer cheirinho desagradável que por ventura começasse a surgir (nada romântico, não?)

(foto site Martha Stewart)



Hoje em dia, no Brasil, o mês de maio já não é mais o favorito das noivas. Os dois meses mais procurados, segundo o IBGE, são dezembro - provavelmente pelas vantagens financeiras com o 13º salário, férias e outros benefícios - e setembro - quando aqui começa a primavera.

O mês menos procurado é agosto. Na Idade Média era considerado o mês da solteirice e celibato, portanto, era praticamente pecado casar-se nesse mês. Já a crendice popular prega que dá azar casar no "mês do cachorro louco". Além do que, por aqui, agosto fica em pleno inverno.

Seja qual for o mês escolhido, a verdade é que o casamento e seus rituais ainda fazem parte do imaginário das meninas.
As noivas mudaram, tornaram-se independentes, pagam por seus próprios casamentos; os príncipes deixaram de vir num belo cavalo branco e podem até aparecer "num Volvo prata" (alguém viu algum Edward Cullen por aí?, LOL), mas o casamento em si e seus preparativos...aaahhhh!!! Esse continua em voga e dificilmente cairá de moda.
E que sejam felizes para sempre. Ou, como disse Vinícius, "que seja eterno enquanto dure".

(fonte: site Guia dos Curiosos)

Um comentário:

  1. Agora sim, vou ficar versada em todos os aspectos do casamento!

    ResponderExcluir